Incompatibilidade entre Power Ridges e Attachments no Sistema Invisalign

1. Biomecanicamente o termo torque refere-se a um binário
ou a um momento puro, implicando a presença de duas forças opostas, não colineares e paralelas, de igual magnitude, que promovem uma tendência à rotação muito próxima do centro de resistência1,2.
2. As ativações dos alinhadores não promovem binários, e consequentemente não produzem torque3,4,5. No entanto, tal não significa que o movimento radicular controlado não
seja possível realizar, sendo no entanto necessário determinar um sistema de forças3,4,5,6,7,8,9.
3. A força desenvolvida pelo Power Ridge (PR) cervical (Fig.1), produzirá um momento que leva à inclinação palatina da coroa. Uma força de diferente magnitude, exercida na face palatina e com distância superior ao centro de resistência, originará um momento superior ao gerado pelo PR3,4,5,8,9.
4. Os alinhadores Invisalign® controlam o movimento radicular pela geração de momentos e contramomentos, através de um sistema de forças, e não pela modificação da forma do alinhador em função do posicionamento dentário 



(Fig.2)4,5,6,7,8. Devido à incompatibilidade do sistema em associar um PR e um attachment, alguns clínicos optam pela inclusão de um attachment para diminuir a desadaptação do alinhador11. Adicionalmente, uma depressão na superfície do alinhador poderá ser realizada na tentativa de mimetizar um PR, o que constitui uma deformação plástica colapsável e que pode promover a sua distorção durante a inserção3,4,5.
5. A correção da retroinclinação dos incisivos poderá ser sequenciada em pró-inclinação coronária seguida do movimento radicular palatino. A pró-inclinação constitui uma inclinação não -controlada, sem necessidade de um PR para ocorrer, permitindo a inclusão de um attachment até
à correção da posição da coroa (Fig.3). Ao solicitar “additional aligners” sem que seja removido o attachment, levará o sistema a reconhecê-lo como uma alteração anatómica, ultrapassando a incompatibilidade com o PR, permitindo a sua presença durante a correção radicular (Fig.4). Assim, é possível aumentar a retenção do alinhador e manter o sistema de forças associado ao PR, desde que o movimento seja segmentado (Fig.5)

Escrito por David Matos

Artigo retirado da Revista Clínica de Ortodontia da SPODF N.5

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Inscreva-se na nossa newsletter

Este site usa cookies para assegurar uma melhor experiência de navegação.